Translate

Tuesday, August 19, 2008

NOVAMENTE

Na hora de partida
A saudade dos que vão
Dos que ficam e
dos que nunca partem

O sabor à madrugada
dos últimos beijos roubados
e os olhares da cunhada
sempre preguiçosos

Na hora de partida
É assim
Ninguém entardece
mesmo engolindo noites


Luciano Canhanga

2 comments:

Julia said...

Poxa, muito obrigada!
Visitei teus blogs, voltarei mais vezes nesse aqui. Gosto bastante de poesias. As tuas são muito boas.

Um beijo,

Julia

Carol Vicente said...

Ando saudosa das tuas poesias...