Translate

Monday, February 02, 2009

A MULATA QUE PERDI


Do primeiro beijo à Marta

se foi a imagem

Apenas as classe que frequentamos

e os caminhos trilhados

Na lembrança

Apenas a magreza

da esbelta mulata

Perdida

Nas estórias contadas

de metralhados contratados

a chicotes lusitanos

Queira,

refeito do trauma

em ti renasça a Marta

perdida na primária

mantendo a fragrância

e o brilho no olhar


Luciano Canhanga

2 comments:

Carol Vicente said...

Querido Lu, não se perde nada nem ninguém para sempre. Perdas são momentâneas pois podem ser recuperadas num simples exercício de rememoração... Que à Marta que foi perdida seja assim!

Line Lily said...

Oi, vim te agradecer o comentário que fez em meu blog e dizer que te indiquei para responder um Meme. Dê uma olhada no meu blog.
Abraço!